segunda-feira, 23 de agosto de 2010

O SER HUMANO EM BUSCA DE SI PRÓPRIO

“Homem, conhece-te a ti mesmo” Sócrates

O ser humano é um ser “odisséico”. Como humanos mortais está em busca de algo. Deseja conhecer a si próprio e o mundo que o cerca. Isso por que o homem possui dentro de si a falta, a necessidade, a paixão por algo que transcende a si mesmo.

Sabemos que a vida é uma eterna aventura. O homem desde seus primórdios vive em busca de sair de si mesmo e se encontrar com algo maior que si. Nessa busca ele encontra alguns atalhos. O conhecimento, o poder, a fama, o prazer, são atalhos que o homem toma nessa busca de encontrar a si próprio.

A origem dessa busca está fundamentada na origem de sua natureza. O ser humano é resultado de um projeto eterno do Criador. Este desejou na eternidade criar um ser que tivesse desejo por desejar o relacionamento com Ele. Deus colocou no homem a sede e Ele é a Água; a fome e ele é o Alimento; a busca por entender a si próprio e Ele é razão de seu existir.

No entanto, viver é mais que existir. Muitos de nós apenas existimos, não vivemos, pois viver pressupõe auto-conhecimento e conhecimento do mundo no qual interagimos. O ser humano precisa olhar para dentro de si e perceber que lá está sua origem. A busca do homem é intrínseca a ele mesmo. Olhando para dentro de si pode encontrar a resposta para aquilo que vive fora de si e dentro do outro. A vida sem a compreensão e prática do que somos e do mundo que nos cerca é mera existência animal e não vida plena e realizada.

Por isso, o ser humano vive a grande realidade da frustração. Ele procura suas origens fora de si. A última, porém, a mais obvia de todas as portas, o seu coração, jamais é tido como eixo axial de sua vida. Por isso, Sócrates afirma que o homem precisa se auto-conhecer. Para isto, é necessário voltar-se a Origem do ser humano, Deus. Não um ser cósmico, distante, humano, mas Pessoal, Presente e Divino. Ele é nossa Origem e Destino. Saímos dele e voltaremos para Ele. A felicidade e a vida plena estão nEle. Nossa eterna busca termina quando O encontramos. Nossa inquietude é trocada pela paz quando o encontramos. Nosso dês-amor é trocado pelo Amor incondicional que nos ama por aquilo que Ele é, e não por aquilo que somos ou fazemos.

Conhecer a nós mesmos é conhecer o Deus que nos conhece. Quando Ele se revela a nós, podemos vislumbrar quem Ele é. Conhecendo-o podemos nos conhecer. Recebendo dEle podemos dar. Mas para isso, precisamos morrer nele para que possamos viver. Isso porque seu Filho já morreu por nós para que possamos viver eternamente. Assim, concluímos fazendo com que Sócrates olhe para a Causa e não para o efeito: “Homem, conhece o Deus que te conhece”. O homem só pode se auto-conhecer e se sentir amado quando Deus, o Criador, se revelar a ele como Deus que o conhece e o ama eternamente.

Por

Prof. Hamilton Perninck Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário